quinta-feira, 28 de outubro de 2010

A merda que deu no carro.

Sou muito traumatizável. Quando atropelei um parafuso, passei semanas sofrendo e ouvindo barulho de pneu furado. Nem ligava o som do carro e voltava cheia de adrenalina nos cornos negociando promessas em troca de chegar inteira em casa, sem percalços.

Uma vez aconteceu isso com meu antigo carro. Aí que terça agora eu amargava no engarrafamento quando percebi o ponteiro da temperatura subir. Pronto, lá vou eu bater pino de novo... Parei, né. Na Ponte, né. Desci, abri o capô, tanque de água seco... Chegou o socorro, o moço encheu d'água, começou a vazar por baixo. "Moça, tá com vazamento". Reboca então. Fui pra oficina e constataram que a serpentina do aquecedor de ar tinha estourado. Ok, troca. "Moça, essa serpentina é cara. Faz questão de ar quente?". Claro que faço, sou friorenta. Mas a bagaça custa quase 4 dígitos. Dá pra comprar muito casaco com 4 dígitos. Eliminaram a serpentina e agora espero que não faça frio. Moro em terras tropicais, mas São Pedro não vai muito com minha cara. Aproveitei pra consertar outras pendências, roubei Namolitomóvel e fui trabalhar.

Aí quero aproveitar o espaço pra dizer que eu, enquanto pão-dura mão de vaca muquirana, estou satisfeitíssima em fazer valer meus pedágios e o seguro do carro. Este ano já foram 3 guinchos na conta da SulAmerica e 2 atrapalhadas na Ponte.

4 comentários:

Olivia disse...

Fico pensando aqui com meus botões que aculpa de algum dos engarrafamentos ou trânsito lentíssimo que pego na ponte deve ter sido culpa sua! haha

Karine disse...

Faço as palavras da Olívia as minhas! hehe

Junião disse...

Hahahaha para a sorte da Mila sei que os meus engarrafamentos na ligação Leste-Oeste e Radial Leste não tem nada a ver com ela!

Atitude: substantivo feminino. disse...

Na boa...vc dá prejuízo as seguradoras!
Tem que usar mesmo rsrsrsrs