terça-feira, 23 de novembro de 2010

Vão-se os anéis é o ca&%$#lho!

As últimas 48 horas têm sido infernais no Rio. É arrastão pra cá, incediários pra lá, tiroteio acolá. Dos lugares onde deu merda, passo diariamente por uns 3. Bom, né? Tá, mas e por quê eu digo isso???

Porque mesmo passando por zonas de risco, nunca passei por NA-DA de sinistro por essas bandas. Aí que ontem, feriado municipal na terrinha, me dirigindo pra ganhar o pão de cada dia, fui abordada por um meliante praticamente na esquina de casa. Lugares por onde passo a pé à noite. Numa náice.

Era a primeira da fila num sinal fechado, pista do meio, carros dos dois lados. Fazia qualquer coisa no celular, janela aberta, a cara de bocó de sempre. Um moleque magrelo de seus 16 ou 17 anos, abaixou do meu lado e saiu falando:

- Aê tia, é assalto, não arranca com o carro não que eu te meto um tiro, passa o dinheiro, passa o dinheiro, rápido!

Eu jurava que tava sem um puto tostão na carteira, até pensei em passar no caixa eletrônico.

- Cara, não tenho dinheiro. Não, não tenho dinheiro!

Ele demorou demais a me mostrar arma, nem mostrou, provavelmente porque ele não tinha. Podia ter pedido o celular, o relógio, coisas que ele viu na minha mão. Mas ele enrolou. E olhou pro lado. Perdeu, ladrão! Arranquei e sentei a mão na buzina. Chamei atenção de uns guardinhas, mas certo que não vai dar em nada.

Essa experiência cretininha serviu para algumas coisas:

1. Descobri que eu sou apegada e idiota. Vai que tinha alguém armado dando cobertura e eu ia perder a integridade física em troca de... de quê? Dinheiro? Pois é, achei que não tinha, mas tinha uns 150 dinheiros na carteira.
2. Não se anda de vidro aberto e, principalmente, não se fica parado de vidro aberto.
3. Niterói é um cocô sujo mil vezes pior que Irajá; aqui em Irajá pelo menos tem polícia. E metrô.
4. Achei que era cagona, sei que sou traumatizável, mas não tive medo. Acho que perdi o pavor de assalto, mas tremi da cabeça aos pés. Eu tremo muito quando nervosa. E de raiva, muita raiva.
5. Você vai tomar um tiro na cabeça e pessoas a 2 metros de você vão olhar pro lado e assoviar, ca-gan-do pro problema que não é delas. E se bobear você vai fazer o mesmo com os outros.

No fim das contas nem me arrependo de não ter entregue tudo, ou alguma coisa, qualquer coisa, pra garantir alguma suposta segurança. Me arrependo de não ter descido do carro e pranchado com muito gosto o delinquente. Ou tentado atropelar. Em termos de cestas básicas, atropelar é mais barato.

13 comentários:

Maquiadora disse...

vc eh uma puta vadia idiota

caralho, tem merda na cabeca?

e nao eh a 1a x, lembra akela perto do carrefour?

so te enfiando a porrada.

Thata disse...

Calma, calma... Tá tudo bem agora, não está?
Bom, vidro fechado já é usado há muito tempo nos faróis de SP, espero que a moda pegue aí também. Rs
Me deixa puta de saber que um santo carro poderia atropelar o fdp e não o fez!!! País de merda!!!

Dona Lô disse...

Amiga, que susto! Bem, até em Vitória a gente anda de vidro fechado!
E olha, reagir é sempre a opção mais estúpida, mas quer saber? Tá todo mundo cheio, por aqui o povo está se juntando e prendendo os bandidos por conta própria, porque se depender da polícia... Vira e mexe tem um linchado. Eu não acho justificável, mas entendo, uma hora a gente se cansa. Parece que somos punidos por trabalhar!

Junião disse...

Mila PQP mew! Que vontade de te xingar! Vc não tem a menor noção do risco que correu... Ok o cara blefou dessa vez, mas se o cano estivesse lá, a sua reação te daria no máximo 5 ou 6m e vc ainda estaria em linha de tiro!

Já perdi um amigo numa situação dessa e não desejo isso para ninguém, sua vida vale muito mais que isso... [puxão de orelha mode on]

Karine disse...

Faço das palavras acima, as minhas!
E Niterói tá um nojo mesmo! Morei por 15 anos no Rio e nunca fui assaltada! Foi só eu me mudar pra Nikity que fui duas vezes assaltada!!! Uma, inda pra escola, às 7 da manhaaaa!!!

Atitude: substantivo feminino. disse...

Nossa...que louca..eu me cago toda..pode ser um pirralho remelento de 5 anos e com verme que entrego tudo..
Sei lá quem está com ele?
Bom, de qq forma...vc deu sorte! êêê
Mas não faça isso novamente!
Ai, ai, ai

altruista disse...

http://www.coseac.uff.br/cidades/niteroi_banner20.htm, http://www.nossasaopaulo.org.br/portal/node/2312,
http://wikitravel.org/pt/Niter%C3%B3i.
Endereços que só falam bem de Niterói, então, a vida é cor de rosa e nada existe de errado.

Olivia disse...

Olha dona mila, quando bate momentos como esse, a cabeça não pensa direito e muitas vezes acabamos pondo a nossa vida em risco.
Certa vez um cara apontou a arma pra mim na porta da minha casa. Eu fiquei dura com as mãos para o alto, com medo de me mover, ele se assustar e me dar um tiro. O que ele fez? Me deu um arrancão porque nem ao menos eu conseguia entregar a bolsa.
Essa gente só aborda quem está desprevinido mesmo. Janela fechada não me impediu de seras assaltada dentro do carro. É apenas uma falsa sensação de segurança e proteção que ela nos causa.
A grande questão é que mulheres desacompanhadas são as maiores vítimas. Isso é estatístico!
Agora, se precaver não custa nada néh!
Beijos e ainda bem que nada de ruim te aconteceu! =)

CHRISTIANE AMORIM disse...

Onde foi isso? Qual sinal?

Dona Mila disse...

Vamos por partes...
Maqui, eu jurava q nao tinha dinheiro! O cara SÓ queria dinheiro...

Thata, isso tambem muito me irrita!

Lo, é bem por aí mesmo. CANSEI!

Ju, nao briga, vai... Juro que na proxima entrego ate o carro!

Karine, niteroi nao tem puliça.

Atitude, eu me borro de medo de tudo, choro e os cacetes. Nao sei qual entidade intrepida que baixou na hora, hahaha

Altruista, o que é bom eles mostram, o que é ruim sobra pra gente dividir!

Olivia, que sinistro! Olha, o lance da janela é a película, justamente pra nao parecer mais uma mulher sozinha no transito.

Chris, esquina da roberto silveira com pereira da silva.

CHRISTIANE AMORIM disse...

Caraca, tenho medo dessas esquinas com a Roberto Silveira, principalmente à noite...passei anteontem à noite por lá, mas eu vinha da Roberto Silveira (depois de ficar parada na esquina da Álvares, que pra mim é a mais sinistra) e entrei na Pereira, mais ou menos 9h da noite. Fiquei parada esperando meu filho que estava fazendo aula particular, nisso uns pivetes tipo 6 anos, me pediram dinheiro, querendo fazer papel de flanelinha, como falei que não tinha, deram uma porrada no meu carro!

Junião disse...

Dicas genéricas de um amigo do meu pai ex-delegado da civil aqui em Sampa:

- Insulfilm, G-20 pelo menos;
- Durante o dia óculos escuros;

Se o bandido não pode ver seus olhos, não sabe se está sendo visto e perde o fator surpresa, ele sempre procurará uma vítima que possa ser surpreendida.

- Evitar ficar "encaixotado" no semáforo, procurar manter uma distância de manobra do carro a frente e evitar a faixa central, que não possui rota de fuga;
- Deixar o carro engatado;

Mas lembrando: utilizar uma rota de fuga e arrancar é uma medida temerária pois você continua exposto ao disparo.

Ms. Anabela disse...

Aqui no Rio meus colegas deram outra dica: nada de insulfilme, pq o cara não vê o que vc tá fazendo e te mata por medo. Todos os carros empada (com marca de azeitonas) que estiveram em latrocínio, tinham insulfilm. Aqueles de erro de cálculo, que os caras estão encomendados, tb insulfilme. Coincidência? Sei lá. Sei que pela experiência, quanto mais claro ficar o que vc está fazendo, menos medo o cara sente e é melhor pra vc.

Lógico, por mim legalizava o porte de armas e ia ser como em Dallas, onde até o meu florista, uma biba louca, tinha uma doze. Vai assaltar em Dallas como esse cara foi fazer contigo! Nem em mil anos! Ele nem ia saber de onde veio o tiro...
¬¬
Beijos!