terça-feira, 2 de novembro de 2010

A culpa não é deles.

Pegando carona no blog da Grazi e ratificando: BICHO NÃO É OBJETO!


A época do Natal é crítica; muitos pais irresponsáveis cedem aos pedidos dos filhos de "eu quero um cachorro! eu quero um gatinho!" e levam uma vidinha nova pra dentro de casa. Enquanto é filhote, tudo é festa. Mas aí sai a Barbie nova, sai um game novo, as demandas mudam, o bicho cresce, já não é tão divertido ter que passear todo santo dia, limpar xixi e cocô é uma dor de cabeça, tem que dar comida, levar ao Veterinário, não dá mais pra viajar com a família toda... e aí? Aí aparecem "alergias", aí aquelas Havaianas que o cachorro mastigou viram "de estimação" e fica insustentável ter "este monstro destruidor" em casa. Vai totó, toma seu rumo. Porteiro, por favor, leva esse saco de gato pra bem longe de mim.

Eles não têm culpa. São vidinhas preciosas, sentem o abandono, sentem fome, frio, dor, medo.

Antes de pensar em adotar um bichinho, visite um Veterinário, que pode te orientar sobre a raça mais adequada pro seu estilo de vida. Ou simplesmente jogue no Google "posse responsável". De cara você já vê que eles não duram só uma primavera; alguns gatos vivem mais de 20 anos, cães de grande porte já apresentam doenças senis com 7 anos, e isso demanda tempo, dinheiro, dedicação e AMOR. Onde vocês estarão em 20 anos? Lembre que se seu filho tem 7 anos quando pede um cão, a adolescência dele vai coincidir com a velhice do animal. Resumindo: VOCÊ, pai, e VOCÊ, mãe, serão os verdadeiros responsáveis.

Não é vergonha nenhuma admitir que não estão prontos pra esse tipo de responsabilidade, pra esse COMPROMISSO de longo prazo. Só não vale levar pra casa e descartar depois. Até porque, é CRIME.

12 comentários:

Olivia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Olivia disse...

Ótimo post! Nunca é tarde para lembrar uma coisa dessa.
Todos os cães que tenho foram de doações. Um poodle de uma moça quase mudou para um ap e ele ocupava espaço demais para um Ap no Recreio, a labradora que veio de um casal que já tinha outro e não suportavam encargo de cuidar de dois quando ela cresceu e deixou de ser fofinha e o Luke, meu lendário labrador-destruidor que veio ainda filhote porque quando ele começou a ficar gigante aos 3 meses os donos perceberam que não podia ficar com ele.
Quando eu penso no quanto eles comem e DESCOMEM! No trabalho que me dão e nas despesas, é que eu vejo o quanto amo cada um deles!

Essa semana fiz o resgate de um gatinho que estava preso de baixo de um monte de entulho de obra. Fiquei ouvindo o miado e aquilo me pertubou. Chamei um amigo e ficamos tirando as coisas até achar o tadinho quejá estava ai a pelo menos 2 dias. Meu vizinho topou criar. =)

Tenho certeza que minha coroa lá no céu está cheia de pedrinhas! =)
A sua também!

Dona Lô disse...

Isso, Miloca! Puxa as orelhas mesmo! Tive uma vizinha que cedeu aos apelos da filha mais nova e comprou um poodle, de tanto a menina ver a gente com o nosso Pingo (um pinscher elétrico, que Deus o tenha). Batizou de Tande. Só que o bicho danou a crescer, era aquele poodle gigante, e eles não sabiam. Resultado: 3 meses depois, eles descem as escadas e falam com a gente: vamos devolver, ele é grande demais. Minha mãe, apaixonada que só ela, do tipo que dormia com o bicho na cama, disparou: "e o amor, vocês devolvem também?"

Dona Lô disse...

Detalhe: minha mãe já está fazendo o enxoval da Nina, nossa york que chega em janeiro. Sim, a véia á fazendo enxoval! Rsrsrsrs!! Tem que ver a coleção de lacinhos de cabelo, digo, pelo, aos pares. Um mimo!

Dona Lô disse...

Detalhe: minha mãe já está fazendo o enxoval da Nina, nossa york que chega em janeiro. Sim, a véia á fazendo enxoval! Rsrsrsrs!! Tem que ver a coleção de lacinhos de cabelo, digo, pelo, aos pares. Um mimo!

***GrAzI disse...

Muito bem colocada!
Seja um peixinho, um pintinho, uma gatinho ou um cachorrinho... Animal não é brinquedo! Viva a posse responsável! :o)

Marcos de Sousa disse...

Acho estremamente estúpido alguém que se apropria de um animal para depois abandonar. As pessoas deveriam ter no mínimo um pouco de responsabilidade.


Seguindo... Quando puder, me faça uma visita: http://omundosobomeuolhar.blogspot.com/

Beijos

Maquiadora disse...

Vale lembrar que Nigreitz fará 18 anos em dezembro...

Doente, caduca, mijando no sofa, cagando debaixo da cama... engasgando com ar, se cansando pra andar ate o banheiro dela... Com cancer e insuficiencia renal.

18 anos.

Qndo ela veio pra ca eu tinha 10 anos e queria pq queria um gato/cao. Com mto custo convenci e consegui um gato. Eu queria um bichinho dócil, fofinho e carinhoso.

Vc conhece BEM a Nininha e sabe que de dócil, fofinha e carinhosa ela nao tem nem nunca teve nada.

Apesar de ser um semi-leão ou um semi-pitbull sempre cuidamos bem dela, amamos e estamos sentindo todos os dias que ela partirá em breve (inclusive ja estamos vendo um jazigo perpetuo para comprar pra ela pois infelizmente acho que desse ano ela nao passará)

Bicho não é lixo.

Eu desaconselho TODOS os meus amigos a comprar animais, salvo aqueles que realmente tem experiencia e amam bichos. Bicho dura mtos anos, faz parte da familia e depois de um tempo vira gente. Sim, vira gente!

A Nininha não é mais gato ha mtos anos, bem como Valentina não é cachorro. É membro da familia, que fará muita falta qndo partir pro ceu dos bichos (ou pra qq outro lugar, afinal, nao discuto religião com elas).

O que mais me dói é ver um cao/gato de rua. doente, magro, acabado.

Pq de gente, todo mundo lembra e ajuda, e os bichinhos QUE NÓS HUMANOS RACIONAIS JOGAMOS NAS RUAS? quem lembra e ajuda???

Enfim, é isso.

Neo disse...

Olá, olá..
Passando pra conhecer, me deliciando, viciando e favoritando pra voltar muitas vezes.
Já ri a beça com o perfil e o vício em café.
Não, não sou viciado em café, mas tomo pelo menos uma vez por dia. Também gosto de Coca, que tem cafeína e sabe lá Deus o que mais. Serve?
Parabéns pelo blog e pelo bom humor. Os textos são ótimos.
Grande abraço.

Neo
Todos os Sentidos

Patrícia disse...

Aiii, tenho uma raiva de gente que trata animal de estimação como um objeto, uma roupa, que ama quando tá novo e na loja mas depois quer mais é se livrar pq a "moda" passou. Tenho uma vizinha assim. Vou fazer um post sobre, tendo ela como personagem, pra mostrar toda minha indignação com gente desse tipo.
Bjs

Karine disse...

Muito bem, Mila! Muito bem lembrado.
Meus pais têm um poodle, que acha que é PitBull, há dez anos e é um membro da família. No Natal, na árvore, o presente dele também estampa por lá. E por causa desse amor que dedicamos a Mel (sim, o nome dele é Mel), não entra na minha cabeça essa coisa de devolver um bicho ou abandoná-lo por aí. Não entra!

Dona Mila disse...

Olivia, Lô, Grazi, Maquiadora, Pat e Karine, bom saber que tem mais gente por aí pregando - e praticando! - a posse responsável!

Marcos e Neo, bem vindos!