segunda-feira, 18 de julho de 2011

Crash boom bang (2)

Hoje quase matei duas pessoas. Bati numa moto. Quer dizer, uma moto me bateu. Andava pela pista da esquerda de uma via com duas pistas, mas sem demarcação. Logo à frente, seguia a moto, bem pelo meio. Continuei na minha pista e passaria a moto, se o motoqueiro filho de uma égua mal parida não se achasse o dono da avenida e não se jogasse em cima de mim. Ele bateu com o guidão na minha janela direita e - rrrrrrrrrrrr - foi riscando Mundinho até quebrar sua lanterna traseira, deixando um vinco horroroso no paralama traseiro. Fez um barulhão, imaginei que tivesse caído. Aí entrei em pânico, porque né, foda-se quem tá certo, se eu mato / arrebento o sujeitinho, além de possíveis implicações legais (homicídio culposo?), como se dorme depois disso???

Parei o carro, liguei o alerta e veio o motoca me pagar esporro (!!!). "Você tá de sacanagem, né?". Mas eu tava tão aliviada que ambos estavam ilesos que acabei pedindo desculpas. Soutrouxafeelings. O cara se mandou, parei num posto mais pra frente e chamei Raul de tão nervosa. Fui ver o estrago, mas mesmo sendo materialista-muquirana, ca-guei. Tremia, mas só porque pensava no que poderia ter acontecido e, ainda bem, não aconteceu.

Cheguei em casa e tomei esporro do Namolito. Segundo ele, não tinha que ter parado porra nenhuma. Vai que o sujeito estava armado? Era logo ali, na entrada do Juramento. Lugar booooom. Mas eu parei, foi a reação na hora. Amanhã ligo pro seguro pedir lanterna e vidros e amargo o prejú da lataria. Espero que o motoquerinho de merda aproveite o susto e tente se tornar mais motociclista.

*****

Engavetamento na ponte hoje na ida e na volta. O da ida foi bem do meu lado. Estava parada e vi alguém não frear, encaçapando o coitado da frente e atrapalhando todo mundo que vinha atrás.

*****

Fiquem à vontade pra aprender com os erros meus e dos outros de hoje. Sem imprudência, prestando muita atenção e deixando os loucos do caminho seguirem bem longe.

8 comentários:

Thata disse...

Com sinceridade: Sorte sua que foi no Rio... Em São Paulo você tem que desviar dos motoqueiros e não o contrário. Se um deles se mata no seu carro, pronto! Param 30 motocas ao seu redor te xingando de tudo quanto é nome. Noutro dia passou um motoqueiro ao meu lado e levou meu retrovisor. Ele parou? Claro que não! E deu sorte de estar trânsito porque eu sou esquentadinha no volante e louca pra derrubar um folgadinho desses.

Gazzy1978 disse...

Aqui em Curitiba não são só os pretensos motoqueiros q arrancam retrovisores... Dia desses, quem entortou o retrovisor do carro do meu pai foi UM CARRO. O motorista provavelmente achou q estava de moto e tentou se enfiar entre o nosso carro e um ônibus - detalhe: não havia espaço nem pra uma moto passar com folga...

Luana disse...

Mulher, eu estava no Rio semana passada e entrei em parafuso de ver como tem gente que dirige mal por ai... Serio mesmo, toda hora tinha carro batido!
Sem falar nos momentos de pura emoção no transito! Gente louca no volante!

MEDO!

Ainda bem que ninguém se machucou!

Thata disse...

Eu notei o mesmo que a Luana quando resolvi ir de carro ao Rio... Parecia Velozes e Furiosos em tempo real, fora que quase entro sem querer no Caju... #Medo!

Dona Lô disse...

Em Vitória ia ser um festival de capacetes no seu Mundinho, amiga! Eles são solidários que só.
Ano passado um desses entrou traseira adentro do carro da minha mãe, que quase pariu um filho colorido e quadrado de parto normal, pois Filhote tava no carro. Fez um estrago daqueles, mas o bonito pagou tudo. Menomale, né?
Ainda bem que você tá bem, que o barbeiro lá também, ainda bem que você tem seguro e que o cara era só mau motociclista, e não mau elemento...

Neanderthal disse...

Oi Dona Mila, fico feliz que nada de grave tenha acontecido. Mas pensando bem, ao ler que após ter parado o fdp ainda veio cheio de razão pra cima de vc, além de não arcar com o prejuízo que causou, fico pensando que se tivesse passado como carro por cima dele, estaria colaborando para um mundo melhor.
Certa vez eu e meu ex atropelamos um cara fora da faixa de pedestres, em uma estrada e com o sinal aberto. Além dos mais, ele estava bêbado. Apesar de ter uma favela perto e ele ser morador de lá, o que falou mais alto foi o medo de ter machucado gravemente o cara, que além de quebrar as costelas, deixou o couro dele colado no carro.
O pior de tudo foi o medo de esperar a ambulância chegar, a ajuntação de gente e um certo tipo de gente que acha que pode dar soluções mais agressivas. Muita gente chegava depois do fato, não sabíamos que éramos os envolvidos e já vinha dizendo "Cadê os fdp que fizeram isso?". Dá medo depois, mas vc ter passado por tudo isso demonstra que seus valores falaram mais alto do que os riscos.
E não adianta, nessas horas a gente age por impulso.
Mas fica aqui mais um motivo para eu reforçar a minha teoria de que quando eu tiver um carro, ele terá um trilho de trem no lugar do pára-choque.
Beijo grande!

Neanderthal disse...

Lendo com calma agora, tem tanto erro no meu texto acima, que depois disso, acho que todos os analfabetos do brasil estão perdoados. hahaha

O Guri disse...

Bah, que bom que nada aconteceu contigo. Sempre pode ser pior...

To com medo de dirigir agora...

Bejo na bunda!